Blog

Agilidade das marcas no mobile
24.07.2017
Agilidade das marcas no mobile

Hoje o debate não é mais sobre as empresas estarem no mobile, mas sobre a qualidade da presença delas no online. A principal preocupação das marcas deve ser, portanto, a experiência do cliente. No Brasil, quase 80% dos usuários de smartphones esperam obter informação imediata quando usam o aparelho para fazer pesquisas na internet. Quando o site de uma marca não atende às expectativas, 43% dos consumidores migram imediatamente para o site da concorrência. As informações são da Provokers para o Google Brasil.

A instantaneidade dos aplicativos de mensagens e a lógica rápida das redes sociais atinge diretamente a maneira de consumir. A decisão de compra do público está atrelada à qualidade de atendimento da marca não somente offline, mas também online. A prova disso é que, entre os brasileiros usuários de smartphones, 95% pesquisam online para escolher produtos antes de comprar na loja física.

A mudança no fluxo de consumo está levando o marketing a mudar e a se adaptar ao público consumidor. Isso acontece porque 63% das pessoas, nos EUA, esperam que as marcas ofereçam uma experiência consistente todas as vezes que interagirem com elas, de acordo com o Think With Google. Como consequência, quase 90% dos profissionais de marketing dos EUA dizem que a personalização do conteúdo em seus sites ou aplicativos resultou em crescimento da receita.

Quanto melhor o serviço prestado, maior a quantidade de vendas e maior a possibilidade de fidelização dos clientes. Essa premissa está inserida na realidade e imagem virtual das marcas e deve ser seguida de acordo com a lógica de imediatismo da internet. A comunicação com o cliente precisa ser clara e funcional principalmente nas redes sociais, que é um meio de essencial influência na vida do consumidor.

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Notícias Relacionadas

Estudos Relacionados