Blog

O crescimento das vendas no mobile até 2020
05.12.2017
O crescimento das vendas no mobile até 2020

Estima-se que até 2020 o mobile constituirá 34% do comércio eletrônico de varejo no Brasil, segundo o eMarketer. O fluxo de compras em espaços físicos ainda é muito grande, mas a realidade do e-commerce está se tornando uma rotina para os brasileiros. Em um panorama geral, é previsto que no mesmo ano mais da metade do mundo conectado esteja fazendo compras online.

Esse caminho que aponta para uma igualdade entre o comércio físico e o eletrônico no país só é possível a partir da construção do caminho de intenção de compra, principalmente através das redes sociais no mobile. Em 2016, nas festas de fim de ano, o Facebook registrou aumento nas conversões móveis, chegando a 53% do total das conversões online globalmente, ficando na frente dos computadores como o dispositivo preferencial para compras online.

A mudança na expectativa dos clientes é em parte responsável por essa tendência. O consumidor quer comodidade, muitas opções e transparência sobre os produtos, critérios que o e-commerce facilita. Isso gera novas oportunidades para os negócios no ambiente mobile, com recursos como anúncios segmentados através de informações off e online, conteúdo digital e boa experiência online.

O mobile é a maior vitrine do e-commerce e também a plataforma mais rápida de criação de intenção de compra. As pessoas compram mais rápido em dispositivos móveis. Para chegar a essa conclusão, o Facebook analisou o tempo entre a exposição ao anúncio e a compra, chegando ao dado de que as conversões entre dispositivos móveis são 13% mais rápidas do que entre computadores (para consumidores de varejo e comércio eletrônico nos EUA). Essa informação é um retrato do movimento que as vendas estão fazendo para o mobile e obtendo maior resultado.

0 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Notícias Relacionadas

Estudos Relacionados